segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

O Desafio de Franchini

A pintura de Franchini é um manifesto de introspecção ou acto insubmisso e/ou revolucionário perante a realidade? Talvez, afirmativamente, tudo! Sim, um universo em uníssono de acções que se conjugam em explosão de criação e afirmação de Ser.
Pintura que se define pela utilização da espacialidade da cor como matéria de modelação do visual, em texturas de imaginação e de espraiamento psicológico de emoções, que suscitam o olhar sobre o seu mundo.
A realidade plástica de Franchini não se diferencia, contudo, do espaço onde habitam outros entes de carne e osso. Não, ela padece e rejubila-se nas suas composições de interpretação que sugerem outras dimensões para além do concluído e assumido como especialmente dado.
A pintura de Franchini é, sem dúvida, um desafio à nossa própria quietude e uma proposta estética em movimento de permanente re-construção.

Delfim Sousa
Director da Casa-Museu Teixeira Lopes